Comitê de Bacia da Serra da Ibiapaba discute situação de barragens e define pautas de gestão

25/04/2019

Situação da barragem do Granjeiro foi assunto da Reunião Ordinária do Comitê

Cumprindo a agenda anual de reuniões para alinhar a gestão das águas da Bacia Hidrográfica da Serra da Ibiapaba, o Comitê responsável pela Bacia reuniu-se na última terça-feira(23) em Ubajara para, dentre outras pautas, acompanhar a situação da barragem Granjeiro e discutir a visita do grupo à barragem Santa Inês.

O acompanhamento e as ações planejadas para eliminar os risco de rompimento da barragem Granjeiro, em Ubajara, foi um dos temas do encontro. Graças a ação rápida da Cogerh, no último dia 12 de março, e da defesa civil, com apoio da prefeitura local, impediu consequências extremas do empreendimento particular pertencente à Agroserra Companhia Agroindustrial Serra da Ibiapaba. A construção de um novo sangradouro foi uma das medidas usadas na ação de prevenção feita em regime de urgência.

Os membros do Comitê da serra da Ibiapaba aproveitaram para pedir um estudo aprofundado sobre a situação da barragem Santa Inês. Na ocasião, Dedé Teixeira, Secretário-Executivo da Secretaria Recursos Hídricos (SRH), destacou a importância dos comitês como espaço democrático para discussões que envolvem os recursos hídricos e o meio ambiente.

Um total de 23 instituições membro, além de representantes da gerência da Cogerh de Crateús, participaram da reunião ordinária.

Vaga no Comitê

O Comitê de Bacia da Serra da Ibiapaba está com vagas abertas para o setor de Usuários de água. O edital para publicação está em fase de elaboração.

Palestra

As nascentes da região rural de Tianguá também foram pauta do encontro, desta vez na palestra ministrada pelo professor Clemilton Ferreira do IFCE de Tianguá. A apresentação do projeto “Identificação e caracterização de nascentes em áreas rurais de Tianguá”, objetiva desenvolver um conjunto de ações ambientais enriquecendo os conteúdos de manejo e conservação do solo, água e vegetação florestal nativa. Clemilton abordou como as atividades são executadas pelos alunos do Instituto, a importância do projeto, e os desafios das atividades.