Maranguape: Nova adutora vai garantir segurança hídrica para sede e distritos

24/10/2018

Obras estão na fase mais delicada, com o assentamento de tubos na área urbana da cidade. Previsão de conclusão é para o dia 31 de dezembro

O presidente da Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Cogerh), João Lúcio Farias, visitou nesta segunda-feira (22), as obras de construção da Adutora de Maranguape. A intervenção, que levará água bruta do Açude Gavião até a Estação de Tratamento (ETA) de Maranguape, vai aumentar a garantia hídrica para a população da sede urbana e de distritos daquela cidade. Estão sendo investidos R$ 20,7 milhões em recursos da própria Cogerh para instalação de 12,4 quilômetros de tubulações de 500 milímetros e instalação da estação de bombeamento.

“A antiga adutora que (ainda) abastece Maranguape está em péssimas condições. Estávamos perdendo muito tempo e energia consertando vazamentos. Isso sem falar no desperdício de água”, comenta o presidente João Lúcio Farias. “Daí a decisão de fazer esse investimento”. Além da sede de Maranguape e dos distritos, a adutora poderá mandar água para o Trecho 5 do Eixão das Águas, aumentando a garantia hídrica da área Oeste da Grande Fortaleza.

Segundo Antônio Carlos Bortolin, engenheiro responsável pela adutora, a atual fase da obra é a mais trabalhosa. “Estamos cortando a área urbana de Maranguape para assentar os tubos. Isso requer muito cuidado, pois há outras instalações de água, esgoto, galerias pluviais etc. Isso dificulta o trabalho. Mas vamos concluir os serviços até 31 de dezembro próximo”, garante.

Penedo

Para atender o distrito de Penedo, também em Maranguape, a Cogerh está construindo outra adutora. “Essa tem 6 quilômetros de extensão e sairá a custo praticamente zero. Estamos usando material que tínhamos em estoque e pessoal próprio”, explica Bortolin.

“A comunidade corria o risco de enfrentar problemas de abastecimento devido ao baixo nível do açude que a abastecia. Agora, em 45 dias estaremos com esse serviço concluído levando água do Açude Maranguapinho para o distrito”, conclui Bortolin. Serão 6 quilômetros de tubulações de 300 milímetros.

Também integraram a comitiva que inspecionou as obras, o diretor de Operações da Cogerh, Bruno Rebouças, o diretor administrativo-financeiro, Denilson Fidélis e técnicos da construtora responsável pelos serviços.