Passado o período chuvoso, o momento agora é de definição da operações dos reservatórios monitorados pela Cogerh para o período que compreende o segundo semestre. Desta vez foi a barragem Figueiredo, na bacia hidrográfica do médio Jaguaribe, que passou pelo momento de definição de vazões para operação.

O Comitê de Médio Jaguaribe deliberou pela retirada de 10 L/s para abastecimento da sede e comunidades do município de Potiretama. Com esse cenário o reservatório tem garantia de hídrica até agosto de 2022, segundo simulações da equipe de monitoramento da Cogerh. O grupo também decidiu pela liberação de uma onda de 2,0 m3/s durante 8 dias para recarga de poços ao longo do rio Figueiredo, utilizados para dessedentação animal e pequenas irrigações.

A plenária aprovou ainda a liberação para o rio somente para o próximo mês de outubro, , após visita de uma comissão de membros do Comitê, além de técnicos da Cogerh de Limoeiro do Norte para verificar as condições de liberação para o rio, bem como a identificação de possíveis gargalos que obstruam o avanço da água.

O processo de Alocação Negociada de Águas é parte da política nacional de Recursos Hídricos, que estimula a participação da sociedade civil e dos usuários de água no processo de co-gestão da água. A Cogerh funciona como secretaria-executiva do Comitê e presta apoio técnico, científico, financeiro e logístico a essas entidades.

O encontro reuniu representantes do Poder Público, Sociedade Civil, Usuários e membros do Comitê do Médio Jaguaribe dos municípios de Alto Santo, Iracema e Potiretama, além de representantes do DNOCS e da equipe de gestão da Cogerh.

Compartilhe:

categorias: | Notícias | Segurança Hídrica
tags: