Imagens de satélite vão intensificar monitoramento dos Recursos Hídricos no Ceará

14/06/2019

Cogerh vai receber diariamente imagens de todo território cearense

Açude Cupim coletado via satélite

A Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Cogerh) deu um passo importante na busca pela otimização do monitoramento dos usos da água em todo o Ceará. A Companhia vai ter acesso diário a imagens de satélite de alta qualidade para identificar áreas sujeitas a fiscalização, onde valem algumas regras de restrição do uso da água por causa da seca, por exemplo. Técnicos da Cogerh vão receber treinamento para operação das imagens a partir da próxima semana. Os núcleos das regionais de Limoeiro do Norte e de Sobral, participam da primeira capacitação para operar o sistema.

A vantagem da iniciativa, com imagens diárias e de todo o estado, possibilita a detecção de irregularidades com agilidade. “É o auxílio da tecnologia para o cumprimento dos parâmetros definidos na alocação negociada de água com foco na fiscalização”, avalia o presidente da Cogerh, João Lúcio Farias. São imagens coletadas diariamente por mais de 150 satélites com o objetivo de fazer cumprir instrução normativa Nº 02 da Secretaria de Recursos Hídricos, que dispõe sobre os instrumentos de fiscalização, autuação e interposição de recursos por infrações à Legislação Estadual de Recursos Hídricos.

O contrato para obtenção das imagens foi firmado entre Cogerh e a empresa Santiago & Cintra Consultoria, empresa brasileira representante exclusiva da Planet Lab, que detém a tecnologia de satélites. O acordo foi intermediado pelo representante local, a Geodata engenharia LTDA. Segundo Vinicius Rissoli, engenheiro da Santiago & Cintra Consultoria, as imagens serão fornecidas em até 48h em plataformas web “para que os técnicos da Cogerh possam acessar de forma rápida e fácil e com altíssima altíssima resolução espacial. São imagens com 3 metros de distância”, explicou Rissoli. O investimento no projeto foi da ordem de R$ 2 milhões e tem duração de, pelo menos, 3 anos, conforme contrato firmado entre as partes.

Interface do Sistema de Satélite

O sistema também vai auxiliar na observação da qualidade da água, além de monitorar possíveis irregularidades em áreas de proteção próximas a açudes. “Vamos ter condições de identificar desmatamento em alguma área do reservatório,além de agressões ao meio ambiente em torno os mananciais. Sem dúvidas, o Estado passa a ter um monitoramento mais efetivo com a aquisição dessa tecnologia”, avalia João Lúcio Farias, presidente da Cogerh.

Protótipo de Sistema de Alerta de Infrações

A companhia negocia, ainda, um protótipo de um “Sistema de Alerta”, um software que vai “avisar” quando encontrar mudanças entre períodos. “ Quando o usuário fizer um desmatamento, construir um tanque, e encher alguma coisa o sistema vai notar a diferença tomando como base uma imagem anterior e uma mais recente, indicando que houve alteração no espaço”, explica Alves Neto, técnico de fiscalização. “ O sistema vai dar alertas. Então em vez de olhar pro sistema como um todo o técnico vai focar no que precisa ir”, completa.

A empresa responsável pela tecnologia desenvolverá o protótipo em até 6 meses. “A Cogerh vai testar e avaliar o protótipo. Dependendo do resultado final, fazemos a aquisição”, conclui Alves.